Lorena Dayse

Minha foto
Enfermeira intensivista , professora de enfermagem, trabalho ha alguns anos como professora, ministrante de cursos de extensão e como professora de preparatorios para concursos publicos.
Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 23 de abril de 2010

PRONTUÁRIO E REGISTRO DE ENFERMAGEM


PRONTUÁRIO E REGISTRO DE ENFERMAGEM

Prontuário


É a documentação legal permanente das informações relevantes para o gerenciamento do cuidado de saúde de um cliente.

Informações em um prontuário
Identificação do cliente e dos dados demográficos; consentimento informado para tratamentos e procedimentos, histórico de enfermagem da admissão, diagnósticos ou problemas de enfermagem, plano de cuidados de enfermagem e/ou multidisciplinar, registro do tratamento com o cuidado de enfermagem e evolução, história médica, diagnóstico médico, prescrições terapêuticas, registro da evolução médica e das disciplinas de saúde, relatos dos exames físicos, relatos dos exames dos procedimentos cirúrgicos, plano e sumário de alta e outros.

Finalidades de um prontuário
Comunicação, faturamento financeiro, educação, histórico, pesquisa, auditoria, documentação Legal.

Características para uma documentação de qualidade
Ser concreto, ser exato, ser completo, ser atual, organizado, consciência da importância, responsabilidade profissional, definição clara das funções, rotinas escritas, clareza da escrita.

Como organizar um prontuário
Folha de Admissão: dados demográficos específicos sobre o cliente: Nome, número de identificação, sexo, idade, data de nascimento, nome do médico assistente, data e hora da admissão.
Folha de prescrição médica: Registro das prescrições médicas para tratamento e medicamentos com data, hora e assinatura do médico.
Histórico de admissão de enfermagem: Sumário do histórico de enfermagem e exame físico.
Folhas de gráficos e fluxo: Registro de observações repetidas e medidas como sinais vitais, peso e balanço hídrico.
Anamnese e exame físico: Resultado do exame inicial realizado pelo médico, incluindo achada, história familiar, diagnósticos confirmados e plano de cuidados.
Evolução de Enfermagem: Registro narrativo do processo de enfermagem
Registro de medicamentos: Documentação exata de todos os medicamentos administrados: Data, hora, dose, via de administração, assinatura de quem preparou e administrou.
Notas de Evolução médica: Registro contínuo do progresso do cliente e da resposta à terapia e revisão do processo da doença.
Registro das disciplinas de cuidado de saúde: Entradas feitas no registro por todas as disciplinas de saúde correlatas: Radiologia, serviço social, laboratórios.
Sumário de Alta: Condição do cliente, evolução, prognóstico, reabilitação, necessidades de ensino no momento da alta do hospital.



Orientações legais para prontuário

Orientação: Não rasurar, aplicar corretivo líquido ou riscar os erros feitos durante o registro
Justificativa: O registro torna-se ilegível, pode parecer que você esteja tentando ocultar a informação ou apagar o registro.
Ação Correta: Fazer uma única linha sobre o erro e escrever a palavra erro acima dela em seguida realizar a anotação correta.

Orientação: Não escrever comentários retalia dores ou críticos sobre o cliente ou o cuidado prestado por outro profissional de saúde.
Justificativa: As frases podem ser usadas como evidencia de comportamento não profissional ou de má qualidade do cuidado.
Ação correta: Redigir com descrições objetivas do comportamento do cliente; os comentários devem ser colocados entre aspas.

Orientação: Corrigir todos os erros de imediato:
Justificativa: Os erros no registro podem levar a erros no tratamento
Ação correta: Evitar ter pressa para preencher o registro, certificar-se de que a informação está exata.

Orientação: Registrar todos os fatos
Justificativa: O registro deve ser exato e confiável
Ação Correta: Certificar-se de que a redação é concreta, não especular ou fazer suposição.

Orientação: Não deixar espaço em branco nas anotações de enfermagem.
Justificativa: Outra pessoa pode acrescentar informações incorretas no espaço
Ação correta: Registrar consecutivamente linha por linha, se sobrar espaço desenhar uma linha horizontal sobre ele e assinar seu nome no final.

Orientação: Redigir as informações de forma legível e com tinta
Justificativa: As redações ilegíveis podem ser interpretadas de maneira errônea gerando erros e ações judiciais. A tinta não pode ser apagada, os registros são foto copiado e arquivado em microfilme.
Ação correta: Nunca apagar os registros ou utilizar corretivo líquido, tampouco utilizar lápis.

Orientação: Quando a prescrição for questionada, registrar que foi procurado o esclarecimento.
Justificativa: Quando você executa uma prescrição reconhecidamente incorreta, é tão responsável para a ação legal quanto o médico.
Ação correta: Não registrar “O médico cometeu o erro”. Em vez disso, registrar que o médico Smith foi contatado por telefone, para esclarecer a prescrição do analgésico.

Orientação: Registrar apenas para você mesma
Justificativa: Você é responsável pelas informações que coloca no registro
Ação correta: Nunca registrar por outra pessoa.


Orientação: Evitar usar frases genéricas e vazias, como “estado inalterado” ou “teve um bom dia”.
Justificativa: A informação específica sobre a condição ou caso do cliente pode ser acidentalmente deletada, quando a informação é muito genérica.
Ação correta: Utilizar descrições completas e concisas do cuidado.

Orientação: Começar cada registro com hora e terminar com sua assinatura e carimbo.
Justificativa: Esta orientação assegura que a seqüência correta de eventos seja registrada, a assinatura documenta quem é responsável pelo cuidado fornecido.
Ação correta: Não esperar até o final do plantão para registrar as alterações importantes que ocorreram há várias horas e certificar-se de assinar cada entrada.

TIPOS DE PRONTUÁRIOS


Papel: aquele formado pela junção dos impressos específicos preenchidos no decorrer do internamento do paciente.

Eletrônico: as informações são armazenadas em formato digital e cujo objetivo principal é permitir qualidade de atendimento, veracidade da informações e assistência da equipe medica, de enfermagem e outros profissionais da área da saúde.


PRONTUÁRIO DE PAPEL

Vantagens: Facilidade no manuseio; maior liberdade na forma de escrever, facilidade de transporte, não exige treinamento de pessoal, nunca está “fora do ar”.

Desvantagens: Ilegibilidade, preenchimento incompleto, dificuldade de acesso, fragilidade do papel, dificuldade de busca e necessidade de transcrição para pesquisa, somente pode estar em um lugar, multiplicidade de pasta e critérios de arquivamento.

PRONTUÁRIO ELETRÔNICO

Vantagens: Texto legível, possivelmente consistente e completo, permite armazenamento de imagens, verificação automática de dados, apoio automático à decisões (alertas), melhor acesso e velocidade de informações, economia de tempo, recupera informações.

Desvantagem: Alto custo, dificuldade de manuseio pelo usuário, dificuldade para completa e abrangente coleta de dados, treinamento de pessoal, manutenção constante, atualização e preservação da integridade dos dados.

A guarda do prontuário deve ser feita num período de 20 anos, no SAME (Serviço de Arquivo Medico e Estatística). Os de papel são guardados em pastas ou microfilmagem e os eletrônicos em empresas especializadas. Tem acesso ao prontuário, o paciente, responsável legal (menor) e o responsável jurídico. Não pode sair da instituição. Em casos de transferência do paciente e feita a cópia de principais exames e diagnósticos. Ou em casos jurídicos (judiciais). A instituição é responsável pela guarda do prontuário e o médico enquanto o paciente estiver internado. O prontuário clínico deve ser preciso, pois se trata de um documento legal. Em casos de processo jurídico, mesmo tendo sido a assistência de enfermagem excelente, se não houver registro do que foi executado, e deixar de ser documentado, para o tribunal se configura como um cuidado não implementado. O cliente pode solicitar leitura e copia na íntegra de seu prontuário.

A ENFERMAGEM E O PRONTUÁRIO

A enfermagem tem como responsabilidade executar e registrar as rotinas administrativas (admissão, transferência, alta e óbito), realizar anotações no censo hospitalar, realizar anotações no relatório de enfermagem, realizar o registro da anotação de enfermagem e medicações e controles, anexar exames, manter organizado, encaminhar ao serviço de contabilidade, auditoria ou faturamento, encaminhar ao SAME.

Terapia Tópica (CURATIVOS)


TRATAMENTO DE FERIDAS, CICATRIZAÇÃO E CURATIVOS

FISIOLOGIA DA CICATRIZAÇÃO
FERIDAS E CURATIVOS


A pele é o maior órgão do corpo humano, tendo como principais funções: proteção contra infecções, lesões ou traumas, raios solares e possui importante função no controle da temperatura corpórea como já vimos em aulas anteriores. A pele é subdividida em derme e epiderme. A epiderme, histologicamente constituída das camadas basal, espinhosa, granulosa, lúcida e córnea é um importante órgão sensorial. Na derme, encontramos os vasos sanguíneos, linfáticos, folículos pilosos, glândulas sudoríparas e sebáceas, pelos e terminações nervosas, além de células como: fibroblastos, mastócitos, monócitos, macrófagos, plasmócitos entre outros.

FERIDAS
As feridas são conseqüência de uma agressão por um agente ao tecido vivo. O tratamento das feridas vem evoluindo desde 3000 anos A.C., onde as feridas hemorrágicas eram tratadas com cauterização; o uso de torniquete é descrito em 400 A .C.; a sutura é documentada desde o terceiro século A.C. Na Idade Média, com o aparecimento da pólvora, os ferimentos tornaram-se mais graves.
O cirurgião francês Ambroise Paré, em 1585 orientou o tratamento das feridas quanto à necessidade de desbridamento, aproximação das bordas e curativos. Lister, em 1884, introduziu o tratamento anti-séptico. No século XX, vimos a evolução da terapêutica com o aparecimento da sulfa e da penicilina.

CLASSIFICAÇÃO DAS FERIDAS
As feridas podem ser classificadas de várias maneiras: pelo tipo do agente causal, de acordo com o grau de contaminação, pelo tempo de traumatismo, pela profundidade das lesões, sendo que as duas primeiras são as mais utilizadas.

QUANTO AO AGENTE CAUSAL
1. Incisas ou cortantes - são provocadas por agentes cortantes, como faca, bisturi, lâminas, etc.; suas características são o predomínio do comprimento sobre a profundidade, bordas regulares e nítidas, geralmente retilíneas. Na ferida incisa o corte geralmente possui profundidade igual de um extremo à outro da lesão, sendo que na ferida cortante, a parte mediana é mais profunda.

2. Corto-contusa - o agente não tem corte tão acentuado, sendo que a força do traumatismo é que causa a penetração do instrumento, tendo como exemplo o machado.

3. Perfurante - são ocasionadas por agentes longos e pontiagudos como prego, alfinete. Pode ser transfixante quando atravessa um órgão, estando sua gravidade na importância deste órgão.
4. Pérfuro-contusas - são as ocasionadas por arma de fogo, podendo existir dois orifícios, o de entrada e o de saída.

5. Lácero-contusas - Os mecanismos mais freqüentes são a compressão: a pele é esmagada de encontro ao plano subjacente, ou por tração: por rasgo ou arrancamento tecidual. As bordas são irregulares, com mais de um ângulo; constituem exemplo clássico as mordidas de cão.

6. Perfuro-incisas - provocadas por instrumentos pérfuro-cortantes que possuem gume e ponta, por exemplo, um punhal. Deve-se sempre lembrar, que externamente, poderemos ter uma pequena marca na pele, porém profundamente podemos ter comprometimento de órgãos importantes como na figura abaixo na qual pode ser vista lesão no músculo cardíaco.

7. Escoriações - a lesão surge tangencialmente à superfície cutânea, com arrancamento da pele.
8. Equimoses e hematomas - na equimose há rompimento dos capilares, porém sem perda da continuidade da pele, sendo que no hematoma, o sangue extravasado forma uma cavidade.

Também as feridas podem ser classificadas de acordo com o GRAU DE CONTAMINAÇÃO. Esta classificação tem importância, pois orienta o tratamento antibiótico e também nos fornece o risco de desenvolvimento de infecção.

1. Limpas - são as produzidas em ambiente cirúrgico, sendo que não foram abertos sistemas como o digestório, respiratório e geniturinário. A probabilidade da infecção da ferida é baixa, em torno de 1 a 5%.
2. Limpas-contaminadas – também são conhecidas como potencialmente contaminadas; nelas há contaminação grosseira, por exemplo, nas ocasionadas por faca de cozinha, ou nas situações cirúrgicas em que houve abertura dos sistemas contaminados descritos anteriormente. O risco de infecção é de 3 a 11%.
3. Contaminadas - há reação inflamatória; são as que tiveram contato com material como terra, fezes, etc. Também são consideradas contaminadas aquelas em que já se passou seis horas após o ato que resultou na ferida. O risco de infecção da ferida já atinge 10 a 17%.
4. Infectadas - apresentam sinais nítidos de infecção.

CICATRIZAÇÃO
Após ocorrer a lesão a um tecido, imediatamente iniciam-se fenômenos dinâmicos conhecidos como cicatrização, que é uma seqüência de respostas dos mais variados tipos de células (epiteliais, inflamatórias, plaquetas e fibroblastos), que interagem para o restabelecimento da integridade dos tecidos. O tipo de lesão também possui importância no tipo de reparação; assim, em uma ferida cirúrgica limpa, há necessidade de mínima quantidade de tecido novo, enquanto que, por exemplo, em uma grande queimadura, há necessidade de todos os recursos orgânicos para cicatrização e defesa contra uma infecção. Na seqüência da cicatrização de uma ferida fechada, temos a ocorrência de quatro fases distintas: inflamatória, epitelização, celular e fase de fibroplasia.

1. Fase inflamatória - O processo inflamatório é de vital importância para o processo de cicatrização; de início, ocorre vaso-constricção fugaz, seguida de vaso-dilatação, que é mediada principalmente pela histamina, liberada por mastócitos, granulócitos e plaquetas com aumento da permeabilidade e extravasamento de plasma; possui duração efêmera de mais ou menos 30 minutos, sendo que a continuidade da vaso-dilatação é de responsabilidade de prostaglandinas.

Nos vasos próximos, ocorrem fenômenos de coagulação, formação de trombos, que passam a levar maior proliferação de fibroblastos. Alguns fatores plaquetários são importantes como o PF4 (fator plaquetário 4) que estimula a migração de células inflamatórias, e o PDGF (fator de crescimento derivado plaquetário), que é responsável pela atração de monócitos, neutrófilos, fibroblastos e células musculares lisas, e produção de colagenase pelos fibroblastos.
Os monócitos originam os macrófagos, bactericidas, que fagocitam detritos. Inibidores de prostaglandinas, por diminuírem a resposta inflamatória desaceleram a cicatrização.

2. Fase de epitelização - Enquanto que a fase inflamatória ocorre na profundidade da lesão, nas bordas da ferida suturada, em cerca de 24 a 48 horas, toda a superfície da lesão estará recoberta por células superficiais que com o passar dos dias, sofrerão fenômenos de queratinização.

3. Fase celular - No terceiro e quarto dia, após a lesão, fibroblastos originários de células mesenquimais, proliferam e tornam-se predominantes ao redor do décimo dia. Agem na secreção de colágeno, matriz da cicatrização, e formam feixes espessos de actina. O colágeno é responsável pela força e integridade dos tecidos.
A rede de fibrina que se forma no interior da ferida orienta a migração e o crescimento dos fibroblastos. Os fibroblastos não têm a capacidade de destruir restos celulares, portanto tecidos macerados, coágulos e corpos estranhos constituem uma barreira física à proliferação com retardo na cicatrização.
Após o avanço do fibroblasto, surge uma rede vascular intensa, que possui papel crítico para a cicatrização das feridas. Esta fase celular dura algumas semanas, com diminuição progressiva do número dos fibroblastos.

4. Fase de fibroplasia - Caracteriza-se pela presença de colágeno, proteína insolúvel, sendo composto principalmente de glicina, prolina e hidroxiprolina. Para sua formação requer enzimas específicas que exigem co-fatores como oxigênio, ferro, ácido ascórbico, daí suas deficiências levarem ao retardo da cicatrização.
São os feixes de colágeno que originam uma estrutura densa e consistente que é a cicatriz. As feridas vão ganhando resistência de forma constante por até quatro meses, porém sem nunca adquirir a mesma do tecido original.
Esta fase de fibroplasia não tem um final definido, sendo que as cicatrizes continuam modelando-se por meses e anos, sendo responsabilidade da enzima colagenase. Esta ação é importante para impedir a cicatrização excessiva que se traduz pelo quelóide.

A cicatrização pode se fazer por primeira, segunda e terceira intenção. Na cicatrização por primeira intenção, ocorre a volta ao tecido normal, sem presença de infecção e as extremidades da ferida estão bem próximas, na grande maioria das vezes, através da sutura cirúrgica. Na cicatrização por segunda intenção, não acontece a aproximação das superfícies, devido ou à grande perda de tecidos, ou devido a presença de infecção; neste caso, há necessidade de grande quantidade de tecido de granulação. Diz-se cicatrização por terceira intenção, quando se procede ao fechamento secundário de uma ferida, com utilização de sutura.
Nas feridas abertas (não suturadas), ocorre a formação de um tecido granular fino, vermelho, macio e sensível, chamado de granulação, cerca de 12 a 24 horas após o trauma. Neste tipo de tecido um novo fato torna-se importante, que é a contração, sendo que o responsável é o miofibroblasto; neste caso, não há a produção de uma pele nova para recobrir o defeito.

A contração é máxima nas feridas abertas, podendo ser patológica, ocasionando deformidades e prejuízos funcionais, o que poderia ser evitado, através de um enxerto de pele. Excisões repetidas das bordas diminuem bastante o fenômeno da contração.

Deve-se enfatizar a diferença entre contração vista anteriormente, e retração que é um fenômeno tardio que ocorre principalmente nas queimaduras e em regiões de dobra de pele.

Existem alguns fatores que interferem diretamente com a cicatrização normal: idade, nutrição, estado imunológico, oxigenação local, uso de determinadas drogas, quimioterapia, irradiação, tabagismo, hemorragia, tensão na ferida entre outros.
Idade - quanto mais idoso, menos flexíveis são os tecidos; existe diminuição progressiva do colágeno.
Nutrição - está bem estabelecida a relação entre a cicatrização ideal e um balanço nutricional adequado.
Estado imunológico - a ausência de leucócitos, pelo retardo da fagocitose e da lise de restos celulares, prolonga a fase inflamatória e predispõe à infecção; pela ausência de monócitos a formação de fibroblastos é deficitária.
Oxigenação - a anóxia leva à síntese de colágeno pouco estável, com formação de fibras de menor força mecânica.
Diabetes - A síntese do colágeno está diminuída na deficiência de insulina; devido à microangiopatia cutânea, há uma piora na oxigenação; a infecção das feridas é preocupante nessas pacientes.
Drogas - As que influenciam sobremaneira são os esteróides, pois pelo efeito antiinflamatório retardam e alteram a cicatrização.
Quimioterapia - Levam à neutropenia, predispondo à infecção; inibem a fase inflamatória inicial da cicatrização e interferem nas mitoses celulares e na síntese protêica.
Irradiação - Leva à arterite obliterante local, com conseqüente hipóxia tecidual; há diminuição dos fibroblastos com menor produção de colágeno.
Tabagismo - A nicotina é um vaso-constrictor, levando à isquemia tissular, sendo também responsável por uma diminuição de fibroblastos e macrocófagos. O monóxido de carbono diminui o transporte e o metabolismo do oxigênio. Clinicamente observa-se cicatrização mais lenta em fumantes.
Hemorragia - O acúmulo de sangue cria espaços mortos que interferem com a cicatrização.
Tensão na ferida - Vômitos, tosse, atividade física em demasia, produzem tensão e interferem com a boa cicatrização das feridas
A grande complicação das feridas é a sua INFECÇÃO, sendo que os fatores predisponentes podem ser locais ou gerais. Os locais são: contaminação, presença de corpo estranho, técnica de sutura inadequada, tecido desvitalizado, hematoma e espaço morto. São fatores gerais que contribuem para aumentar este tipo de complicação: debilidade, idade avançada, obesidade, anemia, choque, grande período de internação hospitalar, tempo cirúrgico elevado e doenças associadas, principalmente o diabetes e doenças imunodepressoras. Outras complicações são a HEMORRAGIA e a DESTRUIÇÃO TECIDUAL.


CURATIVOS
Por definição, curativo é todo material colocado diretamente por sobre uma ferida, cujos objetivos são: evitar a contaminação de feridas limpas; facilitar a cicatrização; reduzir a infecção nas lesões contaminadas; absorver secreções, facilitar a drenagem de secreções, promover a hemostasia com os curativos compressivos, manter o contato de medicamentos junto à ferida e promover conforto ao paciente.
Os curativos podem ser abertos ou fechados, sendo que os fechados ou oclusivos são subdivididos em úmidos e secos. Os curativos úmidos têm por finalidade: reduzir o processo inflamatório por vaso-constricção; limpar a pele dos exudatos, crostas e escamas; manter a drenagem das áreas infectadas e promover a cicatrização pela facilitação do movimento das células.
As medicações tópicas podem ser veiculadas através de pós, loções, cremes, géis, pastas, pomadas, sprays, aerosóis, etc.
O tratamento da ferida envolve, após verificação dos sinais vitais e de uma anamnese sucinta sobre as condições em que ocorreram as lesões os seguintes tópicos:

1. Classificação das feridas: se existe perda de substância, se há penetração da cavidade, se há perda funcional ou se existem corpo estranho e a necessidade de exames auxiliares.
2. Anti-sepsia: basicamente a irrigação vigorosa e intensa com soro fisiológico é bastante eficaz para a diminuição da infecção.
3. Anestesia
4. Hemostasia, exploração e desbridamento: a hemostasia deve ser muitas vezes realizada antes de qualquer outro procedimento, até em via pública.
5. Sutura da lesão.
As soluções mais utilizadas nos curativos são: soro fisiológico para limpeza e como emoliente; soluções anti-sépticas como polvidine tópico ou tintura a 10% (PVPI – Polivinil Pirrolidona) ou cloro-hexidine a 4%; álcool iodado com ação secante e cicatrizante e o éter que remove a camada gordurosa da pele, sendo útil na retirada de esparadrapos e outros adesivos.
Os princípios científicos relacionados a um curativo são: microbiológico - técnica asséptica no manuseio do material estéril; físico - movimentos de execução, mobilização e imobilização; químico e farmacológico - sobre as substâncias utilizadas, e sociológicos - orientação para a paciente e família quanto aos cuidados necessários.
Existem alguns tipos de ferida que devem ser particularizadas: nas lesões por mordeduras, em princípio, as mesmas não devem ser suturadas, pois são potencialmente infectadas; apenas naquelas que são profundas, com comprometimento do plano muscular, este deve se aproximado. Nas feridas por arma de fogo, a decisão da retirada do projétil deve ser avaliado caso à caso; caso haja apenas um orifício, este não deve ser suturado, devendo-se lavar bem o interior do ferimento, sendo que quando houver dois orifícios, um deles poderá ser suturado. As lesões por prego devem ser limpas e não suturadas, tomando-se o cuidado com a profilaxia do tétano.
A seguir, citaremos algumas das substâncias mais utilizadas em curativos de feridas abertas e infectadas, principalmente no tocante de indicação, mecanismo de ação e maneira de utilização. Considerações mais profundas sobre o assunto serão tratadas em futuras Disciplinas.

PAPAÍNA - é uma enzima proteolítica extraída do látex da caricapapaya.
Indicação: em todo tecido necrótico, particularmente naqueles com crosta
Mecanismo de ação: ação antiinflamatória, bactericida e cicatricial; atua como desbridante
Modo de usar: preparar a solução em frasco de vidro, irrigar a lesão e deixar gaze embebida na solução
Observações: a diluição é feita de acordo com a ferida: 10% em tecido necrosado, 6% nas com exudato purulento e 2% naquelas com pouco exudato.

HIDROCOLÓIDE - partículas hidroativas em polímero inerte impermeável
Indicação - lesões não infectadas com ou sem exudato, áreas doadoras e incisões cirurgicas
Mecanismo de ação - promove barreira protetora, isolamento térmico, meio úmido, prevenindo o ressecamento, desbridamento autolítico, granulação e epitelização
Modo de usar - irrigar a lesão com soro fisiológico, secar as bordas e aplicar hidrocolóide e fixar o curativo à pele
Observações - não devem ser utilizados para feridas infectadas

TRIGLICÉRIDES DE CADEIA MÉDIA (TCM) - ácidos graxos essenciais, lipídios insaturados ricos em ácido linolêico
Indicação - todos os tipos de lesões, infectadas ou não, desde que desbridadas previamente
Mecanismo de ação - promove quimiotaxia para leucócitos, facilita a entrada de fatores de crescimento nas células, promove proliferação e mitose celular, acelerando as fases da cicatrização.
Modo de usar - irrigar a lesão com soro fisiológico, aplicar AGE por toda a área da ferida e cobrir.
Observações - não é agente desbridante, porém estimula o desbridamento autolítico.

OUTRAS SUBSTÂNCIAS
Carvão ativado - nas feridas infectadas exudativas
Alginato de cálcio - nas lesões exudativas com sangramento
Filme com membrana de poliuretano - para proteção de lesões profundas não infectadas.

PRINCÍPIOS PARA O CURATIVO IDEAL
1. Manter elevada umidade entre a ferida e o curativo
2. Remover excesso de exudação
3. Permitir troca gasosa
4. Fornecer isolamento térmico
5. Ser impermeável à bactérias
6. Ser asséptico
7. Permitir a remoção sem traumas

PROCEDIMENTOS PRÁTICOS
CURATIVO DE FERIDAS SIMPLES E LIMPAS
1. Lavar as mãos para evitar infecção
2. Explicar o procedimento ao paciente e familiar, para assegurar sua tranqüilidade
3. Reunir todo o material em uma bandeja auxiliar
4. Fechar a porta para diminuir corrente de ar
5. Colocar o paciente em posição adequada
6. Manipulação do pacote de curativo com técnica asséptica, incluindo a utilização de luvas
7. Remover o curativo antigo com pinça dente de rato
8. Fazer a limpeza da incisão com pinça de Kelly com gaze umedecida em soro fisiológico, com movimentos semi-circulares, de dentro para fora, de cima para baixo, utilizando-se as duas faces da gaze, sem voltar ao início da incisão
9. Secar a incisão de cima para baixo
10. Secar as laterais da incisão de cima para baixo
11. Colocar medicamentos de cima para baixo, nunca voltando a gaze onde já passou
12. Retirar o excesso de medicação
13. Passar éter ao redor da incisão
14. Curativo quando necessário
15. Lavar as mãos
16. Recolher o material

CURATIVO DE FERIDAS ABERTAS OU INFECTADAS
As diferenças básicas podem ser assim resumidas:
1. Os curativos de ferida aberta, independente do seu aspecto, serão sempre realizados conforme a técnica de curativo contaminado, ou seja, de fora para dentro.
2. Para curativos contaminados com secreção, principalmente em membros, colocar uma bacia na área a ser tratada, lavando-a com soro fisiológico a 0,9%.
3. As soluções anti-sépticas mais utilizadas são a solução aquosa de PVPI a 10% (1% de iodo livre) e cloro-hexidine a 4%.
4. Quando houver necessidade de troca de vários curativos em um mesmo paciente, deverá iniciar pelos de incisão limpa e fechada, seguindo-se de ferida aberta não infectada, depois os de ferida infectada, e por último as colostomias e fístulas em geral
5. Utilizar máscaras, aventais e luvas esterilizadas.

terça-feira, 20 de abril de 2010

FINAL DA PROVA


41. Em relação à infecção hospitalar, é CORRETO afirmar:
(A) É toda infecção detectada em ambiente hospitalar, relacionada ou não à internação do paciente no hospital.~
NÃO ESTA INFECÇÃO PODE APARECER NO HOSPITAL ACIMA DE 72 HORAS

(B) É qualquer infecção adquirida após a internação do paciente e que se manifesta durante a internação ou mesmo após a alta, quando puder ser relacionada à internação ou a procedimentos hospitalares.
CORRETO

(C) É aquela evidenciada no momento da admissão do paciente no hospital.
NÃO ESTA É INFECCÇÃO COMUNITARIA

(D) É aquela constatada em incubação na admissão do paciente, não relacionada a internações anteriores no mesmo hospital.
NÃO ESTA É INFECCÇÃO COMUNITARIA
(E) Pode ser adquirida após a internação hospitalar ou no domicílio.
NÃO ESTA CORRETO

42. A prevenção de úlcera por pressão, em idosos, é responsabilidade da enfermagem. Para tanto, a equipe de enfermagem precisa adotar medidas adequadas, EXCETO:
(A) Aplicar curativo úmido com soro fisiológico a 0,9% na úlcera por pressão para promover a cicatrização.
(B) Realizar mudança de decúbito a cada 2h para diminuir a pressão em áreas susceptíveis.
(C) Remover a umidade da pele, assegurar lençóis limpos, secos e com rugas.
SEM RUGAS, POIS ESTAS PROVOCAM LESÕES
(D) Usar luvas estéreis antes de tocar diretamente uma ferida aberta.
(E) Utilizar hidratante na pele diariamente.

43. A oxigenoterapia é a administração de oxigênio para aliviar e impedir a hipóxia tecidual do paciente. A equipe de enfermagem adota cuidados ao utilizar os dispositivos para fornecer o oxigênio. Sobre tais dispositivos, pode-se afirmar:
( ) A cânula nasal é um dispositivo comum.
CORRETO
( ) A máscara de oxigênio fornece oxigênio seco e aquecido.
NUNCA O OXIGENIO PODE SER SECO
( ) O oxigênio é um medicamento que é ajustado apenas com prescrição médica.
CORRETO
( ) A desinfecção da máscara de oxigênio é realizada com álcool a 70%.
NÃO DEVE SER PREFERENCIALMENTE COM HIPOCLORITO DE SÓDIO
Considerando os objetivos da oxigenoterapia, assinale V, se verdadeiro, e F, se falso.
(A) V-F-V-V
(B) F-V-V-F
(C) V-F-V-F
(D) F-F-V-F
(E) V-V-F-V


44. Relacione a primeira coluna com a segunda e escolha a opção CORRETA.
(1) Hemorragia arterial (2 ) Incapacidade do coração em bombear o sangue.
(2) Choque cardiogênico ( 1) Sangramento em jato e sangue de coloração vermelho-vivo.
(3) Emergência (4 ) Ocorrência imprevista de agravo à saúde com sem ou risco potencial à vida. Neste caso, o portador necessita de assistência médica imediata.
(4) Urgência (3 ) Risco iminente de morte ou sofrimento intenso, exigindo, portanto,
tratamento médico imediato.
(A) 1, 2, 4, 3
(B) 2, 1, 4, 3
(C) 2, 1, 3, 4
D) 3, 1, 4, 3
(E) 1, 4, 2, 3
45. Um paciente internado na Unidade de Terapia Intensiva apresenta comprometimento dos sistemas fisiológicos. No sistema urinário, a urina encontra-se com coloração avermelhada. A isto dá-se o nome de:
(A) Nictúria. URINAR A NOITE
(B) Oligúria. DIMUIÇÃO DO VOLUME URINÁRIO
(C) Bacteriúria. BACTERIAS NA URINA
(D) Glicosúria. GLICOSE (ACUCAR NA URINA)
(E) Hematúria. CORRETO, SANGUE NA URINA

46. Uma das finalidades da aplicação local de calor a uma parte do corpo lesada é a terapêutica. Dentre os efeitos terapêuticos, só NÃO se pode incluir a:
(A) Anestesia local. FRIO, ESTÁ INCORRETO
(B) Ação vasodilatadora.
(C) Tensão muscular diminuída.
(D) Aumenta o fluxo sanguíneo para uma parte lesada do corpo.
(E) A permeabilidade capilar e o metabolismo tecidual aumentam.


47. O cateterismo vesical é a introdução, através da uretra, de um cateter estéril na bexiga. O técnico de enfermagem prepara o material para a sonda vesical de demora, entregando ao enfermeiro a sonda denominada de:
(A) Sonda de Foley. CORRETO
(B) Sonda vesical de nelaton.
(C) Sonda de Folwer.
(D) Sonda de alívio.
(E) Sonda nasoentérica.

48. O desmaio é caracterizado por uma perda dos sentidos, devido à diminuição de sangue e de oxigênio no cérebro. Os primeiros cuidados de enfermagem a uma vítima com desmaio são:
(A) Deitar a vítima e elevar os membros inferiores a um ângulo de 90º.
(B) Colocar a cabeça da vítima em nível inferior ao dos pés.
(C) Estimular a respiração boca a boca.
(D) Colocar álcool a 70% no algodão para a vítima inalar.
(E) Deitar a vítima, afrouxar a roupa e elevar os pés para aumentar a irrigação de sangue ao cérebro. CORRETO

49. Um menino de 10 anos de idade, acompanhado pela mãe, chegou ao serviço de Pronto-Socorro com as seguintes queixas: dor, edema e ruptura da estrutura óssea do membro superior direito, sem rompimento de pele. Estes sinais e sintomas são indicativos de uma:
(A) Luxação.
(B) Entorse.
(C) Fratura fechada.
(D) Fratura exposta.
(E) Fratura aberta.
SE NÃO HA ROMPIMENTO DA PELE É FRATURA FECHADA

50. Um recém nascido deu entrada no Posto de Saúde com eritema, descamação da pele e choro intenso. De acordo com a classificação quanto à profundidade da queimadura, tem-se, no caso em tela, uma de:
(A) 1º Grau.
(B) 2º Grau.
(C) 3º Grau.
(D) 2º Grau profundo.
(E) 3ª Grau superficial.
PRIMEIRO GRAU, POIS NÃO APRESENTA BOLHAS, POREM ESTA QUESTÃO É DUVIDOSA E COM UMA PEGADINHA MALDOSA, ACHO POR BEM QUE DEVE SER NULA...


APOS A AVALIAÇÃO DA PROVA, PERCEBO QUE OS PREPAATORIOS FORAM BEM SUCEDIDOS, VISTO QUE TODAS, TODAS MESMOS FORAM DISCUTIDAS EM SALA ALGUMAS MAIS INTEGRALMETE E OUTRAS COM CONTEUDOS QUE INDIRETAMENTE SE PERCEBIA A RESPOSTA

OBRIGADA

COMENTEM O QUE VOCES ACHARAM DA PROVA

CONTINUAÇÃO DO COMENTARIO DA PROVA DE TECNICO


31. De acordo com as diretrizes atuais da American Heart Association (AHA), na Reanimação Cardiopulmonar (RCP), no adulto, a relação ventilação x compressão torácica e o número aproximado de compressões torácicas externas realizadas em um minuto é, respectivamente:
(A) 02 ventilações para 30 compressões, com 60 compressões/minuto.
(B) 01 ventilação para 15 compressões, com 80 compressões/minuto.
(C) 01 ventilação para 30 compressões, com 60 compressões/minuto.
(D) 02 ventilações para 30 compressões, com 100 compressões/minuto.
(E) 02 ventilações para 15 compressões, com 80 compressões/minuto.
LETRA D 2: 30 COM UMA FREQUENCIA ACELERADA DE 100 BPM

32. O período pré-operatório tem, como objetivo, disponibilizar fatores positivos para o ato cirúrgico e estabilizar os que podem interferir na recuperação. São cuidados de enfermagem no pré-operatório imediato:
(A) Remover próteses dentárias exclusivamente dos pacientes que serão submetidos à anestesia geral.
TODOS DEVEM SER REMOVIDOS TANTO GERAL, COMO LOCAL OU RAQUI

(B) Realizar tricotomia na área a ser operada, preferencialmente 1h antes de encaminhar o paciente ao centro cirúrgico.
CORRETO NÃO SE RECOMENDA MAIS A TRICOTOMIA NO DIA ANTERIOR

(C) Encaminhar o paciente ao centro cirúrgico somente com a sua prescrição médica atual.
TODO O PRONTUÁRIO DO PACIENTE

(D) Conduzir o paciente ao centro cirúrgico preferencialmente deambulando, a fim de promover uma maior tranquilidade e ativar a circulação sanguínea.
PACIENTE DEVE SER ENCAMINHADO DE MACA OU CADEIRA DE RODAS

(E) Promover o conforto e a higiene oral para diminuir a ansiedade antes de encaminhar o paciente ao centro cirúrgico.
NÃO TEM COERENCIA ESTA ALTERNATIVA

33. O paciente cirúrgico preocupa-se com o procedimento anestésico, com o ato cirúrgico e também com sua recuperação durante o pós-operatório. Em relação ao período trans-operatório, é CORRETO afirmar:
(A) Esse período é iniciado com a chegada do paciente à sala cirúrgica e finalizado nas primeiras 12 e 24 horas que sucedem o ato cirúrgico.
(B) Esse período é iniciado com a entrada do paciente no Centro Cirúrgico e finalizado com a sua admissão na sala de recuperação pós-anestésica.
(C) Esse período é iniciado com a entrada do paciente na sala cirúrgica e estendido até a sua alta da sala de recuperação pós-anestésica.
CORRETO
(D) Esse período é iniciado com a internação do paciente em uma unidade cirúrgica e finalizado com a sua alta hospitalar.
(E) Esse período é iniciado com a admissão do paciente na clínica cirúrgica e finalizado na sala de recuperação pós-anestésica.


34. A degermação (ou escovação) cirúrgica consiste em uma lavagem das mãos (área nobre), do punho, dos antebraços até o cotovelo, com a finalidade de:
(A) Remover mecanicamente todos os microorganismos da pele (mãos, antebraços e cotovelos), a fim de prevenir a contaminação da ferida operatória.
NUNCA SE REMOVE TUDO

(B) Prevenir a contaminação do campo operatório no ato cirúrgico com o auxílio do uso de roupas, luvas e materiais estéreis.
CORRETO

(C) Remover a flora residente, que é constituída por microorganismos localizados nas unhas, na região subungueal e nas dobras da pele, os quais são de difícil remoção.
A FLORA RESIDENTE FICA NAS AREAS PROFUNDAS DA PELE

(D) Remover a flora bacteriana transitória, que é constituída por microorganismos localizados nos folículos pilosos e nas glândulas sebáceas, os quais são de fácil remoção.
ESTE E FLORA RESIDENTE

(E) A duração do procedimento da degermação cirúrgica compreende de 10 a 15 minutos na primeira cirurgia e de 5 a 10 minutos para as cirurgias subsequentes.
INCORRETO 5 MINUTOS AS PRIMEIRAS E 2 AS OUTRAS


35. Durante o processo de descontaminação e esterilização dos materiais e instrumentais, os profissionais devem seguir uma sequência para o processamento dos mesmos. Assinale abaixo a sequência CORRETA desse procedimento.
(A) Limpeza do instrumental, imersão em solução de hipoclorito a 2% por 45 minutos, enxágue, secagem, empacotamento e esterilização.
(B) Lavagem do instrumental com água e sabão, álcool a 70%, secagem e empacotamento.
(C) Limpeza do instrumental, imersão em detergente enzimático, secagem, empacotamento e esterilização.
(D) Imersão do instrumental com água e sabão, enxágue, secagem, empacotamento e esterilização.
(E) Imersão do instrumental em detergente enzimático, limpeza, enxágue, secagem, empacotamento e esterilização.
CORRETO LETRA E


36. Na Lei do Exercício Profissional 7.498/86 e no Decreto 94.406/86, estão determinadas as incumbências a todo o pessoal de Enfermagem, dentre elas, está a de anotar, no prontuário do paciente, as atividades da assistência de Enfermagem, para fins estatísticos. Assim, assinale a opção INCORRETA.
(A) É proibido assinar as ações de Enfermagem que não executou, bem como permitir que outro profissional assine as que executou.
CORRETO CONFORME O CODICO DE ETICA
(B) As Anotações de Enfermagem devem ser claras, objetivas e livres de julgamento.
CORRETO

(C) As Anotações de Enfermagem, no prontuário do paciente, quando rasuradas, devem ser corrigidas com o uso de corretivo.
NÃO SE PODE USAR CORRETIVO EM CASO DE ERRO, COLOCAR DIGO, SEM EFEITO

(D) A utilização dos seguintes sinais gráficos, na anotação de enfermagem, significa: (/) – para checar quando a ação foi realizada e o circular (O) – para assinalar o horário em que a ação prescrita não foi realizada.
CORRETP

(E) A evolução de enfermagem no prontuário do paciente é uma atividade privativa do enfermeiro.
CORRETO, CONFORME O CODICO DE ETICA

37. A administração de sangue e de hemoderivados exige do técnico de enfermagem conhecimento de técnicas. Dentre os cuidados de enfermagem relacionados à hemotransfusão, assinale a opção INCORRETA.

(A) O período máximo para administrar hemocomponentes é de quatro horas de infusão.
CORRETO
(B) A bolsa de hemocomponente pode ser colocada debaixo da torneira para atingir a temperatura ambiente antes de ser infundida no paciente
NUNCA, ISSO PODE LEVAR A HEMOLISE DAS HEMACIAS, A BOLSA DEVE SER COLOCADA EM UMA BANCADA ATÉ ATINGIR A TEMPERATUDA AMBIENTE.

(C) A troca do equipamento de transfusão é recomendada a cada unidade de sangue transfundida, objetivando diminuir o risco de contaminação bacteriana.
(D) O técnico de enfermagem, quando suspeitar de uma reação transfusional, deve suspender imediatamente a transfusão.
(E) A bolsa de hemocomponente não deve receber a adição de qualquer tipo de medicamento ou solução.


38. A Srª E.O.G, de 60 anos, foi a óbito de infarto agudo do miocárdio. Os orifícios que devem ser primeiramente tamponados pelo técnico de enfermagem são:
(A) Nariz, ouvidos, boca e ânus.
(B) Nariz e boca.
(C) Nariz, boca e ânus.
(D) Nariz e ânus.
(E) Nariz, ouvidos, boca, vagina e ânus.
ESTA QUESTÃO DEVE SER NULA OU TROCA DE GABARITO PARA A ALTERNATIVA B, POIS A PALAVRA PRIMEIRAMENTE, ALTERA A RESPOSTA



39. Quanto à administração de medicamento via intramuscular (IM) em crianças, é INCORRETO afirmar:
(A) A região deltoide é contra-indicada em crianças menores de 10 anos de idade.
CORRETO
(B) A região dorsoglútea é contra-indicada para crianças menores de 02 anos de idade.
CORRETO
(C) A região do músculo vasto lateral é contra-indicada para aplicação de injeção IM em crianças em geral, face à dificuldade de acesso e à presença de nervos e vasos sanguíneos importantes no local.
INCORRETO ESTA VIA É A PREFERENCIAL PARA AS CRINAÇAS E NÃO HÁ RISCO DE LESAR NERVOS

(D) A região ventro-glútea é preferível para adultos e crianças , incluindo bebês.
CORRETO
(E) As preparações para administração intramuscular podem apresentar-se na forma de soluções aquosas, soluções oleosas e suspensões.
CORRETO

40. O Sr. K.B.V, de 60 anos, portador de Diabetes Mellitus, foi internado na clínica médica de um hospital municipal, para tratamento clínico. Conforme a prescrição médica, ele faz uso de insulina há 2 semanas. A equipe de enfermagem, ao administrar a medicação de insulina por via subcutânea, precisa tomar alguns cuidados antes de injetar a medicação. No que se refere a esses cuidados, é CORRETO afirmar:
I. O rodízio no local da injeção, na administração de insulina, é indicado para evitar a lipodistrofia e Lipohipertrofia;
CORRETO
II. A insulina por via subcutânea é administrada quando não necessita ser absorvida rapidamente;
CORRETO
III. Os locais de aplicação de insulina são abdômen e coxa, excetuando-se as regiões das nádegas e do braço;
INCORRETO NÃO SE EXCETUA O BRAÇO E AS NADEGAS
IV. As doses administradas por via subcutânea variam de 0,5 a 1mL de solução, porque o tecido não suporta grandes volumes de medicamentos.
CORRETO DEVIDO A PROPROA VIA SUBCUTANEA
Assinale a opção CORRETA.
(A) Somente as afirmativas I e II estão corretas.
(B) Somente as afirmativas I, II e III estão corretas.
(C) Somente as afirmativas I, III estão corretas.
(D) Somente as afirmativas I, II e IV estão corretas.
(E) Todas as afirmativas estão corretas.

COMENTÁRIO DA prova especifica COPESE para tecnico em enfermagem


21. A Lei nº 7.498/86 dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e, além disso, dá outras providências. No parágrafo único, diz que a Enfermagem é exercida privativamente pelo Enfermeiro, pelo Técnico de Enfermagem, pelo Auxiliar de Enfermagem e pela Parteira, respeitados os respectivos graus de habilitação. Considerando a Lei do Exercício Profissional de Enfermagem, cabe ao Técnico de Enfermagem orientação e acompanhamento do trabalho de enfermagem, competindo-lhe, especialmente:
I. Participar da programação da assistência de Enfermagem;
II. Cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves com risco de morte;
III. Participar da orientação e supervisão do trabalho de Enfermagem em grau auxiliar;
IV. Executar cuidados de complexidade técnica e tomar decisões imediatas.
Marque a opção CORRETA sobre os itens acima:
(A) Somente os itens I e II estão corretos.
(B) Somente os itens III e IV estão corretos.
(C) Somente o item IV está correto.
(D) Somente os itens I e III estão corretos.
(E) Somente os itens I, II, III estão corretos.

AS ALTERNATIVAS I E III ESTÃO CORRETAS , COMO AVISEI NAS AULAS DE ETICA, ASSISTENCIA A PACIENTE GRAVE COM RISCO E MAIOR COMPLEXIDADE SÃO FUNÇÕES PRIVATIVAS DO ENFERMEIRO NÃO CABENDO AO TECNICO DE ENFERMAGEM.

22. O Técnico de Enfermagem, ao verificar os sinais vitais de um cliente, precisa saber a técnica correta para obter medições acuradas. No que tange a este procedimento, marque a opção CORRETA.
(A) A temperatura corporal pode ser verificada na axila, mesmo quando apresenta lesões na pele.

LESÕES NA PELO ALTERAM A TEMPERATURA,

(B) As localizações para aferição do pulso são: temporal, carótida, apical braquial, radial, ulnar, femoral, poplíteo, tibial posterior e no dorso do pé. Destas localizações, a de uso mais comum é a temporal.
O USO MAIS COMUM É A RADIAL

(C) A frequência respiratória identifica os tipos de padrão respiratório, como a bradipneia, que tem uma frequência da respiração superior a 20 respirações por minuto.
ACIMA DE 20 RPM É TAQUIPNEIA

(D) A pressão arterial de um adulto de 18 anos ou mais é considerada normal quando a sistólica encontra-se menor que 120mmHg e a diastólica menor que 80mmHg.
CORRETO

(E) A sequência, para aferição dos sinais vitais, compreende: pulso, temperatura, respiração e pressão arterial.
A SEQUENCIA É : T, P, R E PA

23. A Srª M.L.T., de 40 anos, foi internada em um Hospital para tratamento clínico. A cliente encontra-se no leito com dependência total para realizar a sua higiene corporal. Leia atentamente cada item abaixo sobre os cuidados com a higiene corporal e marque a opção CORRETA.
I. A cama, após a higiene corporal da cliente, é mantida limpa, seca e com dobras para promover o conforto;
SEM DOBRAS

II. O banho no leito pode ser realizado em todo o segmento corporal ou em partes do corpo;
CORRETO

III. A técnica para lavar os olhos é do canto interno para o externo;
CORRETO

IV. A escovação dos dentes aumenta o bem estar e o conforto, mas aumenta a dor nas gengivas.
FALSO DIMINUI A DOR

(A) Somente os itens I, II e III estão corretos.
(B) Somente os itens II e III estão corretos.
(C) Somente o item III está correto.
(D) Todos os itens estão incorretos.
(E) Somente os itens II, III e IV estão corretos.

24. Uma lavagem intestinal foi prescrita para o Sr. H.P.O. Para estes fins, o paciente hospitalizado é colocado em posição
(A) Fowler.
(B) Semi-Fowler.
(C) Sims.
(D) Litotômica.
(E) Ginecológica.
SIMS QUE É USADA PARA EXAMES RETAIS E LAVAGEM


25. Um paciente, em pós-operatório imediato de hernioplastia, chega a SRPA com prescrição de 1000mL de soro fisiológico a 0,9%. O controle do gotejamento deve ser ajustado para as 12 horas seguintes. Para dar continuidade à hidratação venosa, o técnico de enfermagem deve controlar o número de gotas para
(A) 42 gts/min.
(B) 28 gts/min.
(C) 25 gts/min.
(D) 54 gts/min.
(E) 26 gts/min.
LETRA B SO LEMBRAR DA FORMULA VOLUME DIVIDIDO PELO TEMPO x 3


26. A higienização das mãos, na assistência à saúde, é importante para a segurança do profissional de saúde, para a qualidade da atenção prestada a todo o cliente que precisa de cuidados e para a prevenção e controle das infecções hospitalares.
Leia atentamente cada item abaixo sobre os cuidados com a higienização e marque a opção CORRETA.
I. A higienização das mãos deve ser realizada pelos profissionais de saúde que têm contato apenas diretamente com os pacientes e com material contaminado;
CONTATO INDIRETO TAMBEM

II. O uso das luvas dispensa a prática da higienização das mãos após a realização de procedimentos invasivos;
NUNCA O USO DE LUVAS DISPENSA A LAVAGEM DAS MÃOS

III. Os profissionais de saúde utilizam, para higienizar as mãos, água e sabão, preparação alcoólica e antisséptico;
CORRETO

IV. A indicação de água e sabão para higienizar as mãos dá-se quando elas estiverem visivelmente sujas ou contaminadas com sangue e outros fluidos corporais; quando terminar o turno de trabalho e antes das refeições e após o preparo de alimentos.
INCORRETO, POSI SEMPRE DEVE-SE LAVAR AS MÃOS

(A) Somente os itens I, III e IV estão corretos.
(B) Somente os itens II, III e IV estão corretos.
(C) Somente os itens I e III estão corretos.
(D) Somente o item III está correto.
(E) Somente os itens III e IV estão corretos.

27. O Sr. O.P.H, de 60 anos, encontra-se em terapia endovenosa há 15 dias com scalp nº 25 no membro superior direito. O paciente queixa-se de dor, calor e edema no local da punção. O técnico de enfermagem, ao observar o local da punção, identifica a ocorrência de
(A) choque pirogênico.
(B) sobrecarga circulatória.
(C) infecção sistêmica.
(D) embolia.
(E) flebite.
FLEBITE, QUE É INFLAMAÇÃO NA VEIA ONDE ESTA O SCALP

28. 50 mL de soro glicosado a 5% em 30 minutos foram prescritos a um paciente. O número de microgotas por minuto que o soro deverá infundir é:
(A) 33 gotas.
(B) 06 gotas.
(C) 24 gotas.
(D) 45 gotas.
(E) 35 gotas.
ESSA QUESTÃO DEVE SER NULA, POIS TODAS AS RESPOSTAS ESTÃO EM GOTAS E ELE QUESTIONA O CALCULO EM MICROGOTAS


29. Sobre os cuidados de enfermagem na administração de medicamentos por via parenteral, é INCORRETO afirmar:
(A) A via subcutânea ou hipodérmica é indicada para drogas que não necessitam ser rapidamente absorvidas.
CORRETO, COMO A INSULINA QUE DEVE TER UM EFEITO A LONGO PRASO

(B) Os locais de administração de medicamentos via intramuscular são, especificamente: deltoide e glúteo.
ESQUECERAM A VENTRO-GLUTEA E O VASTO LATERAL DA COXA ENTÃO ESTA INCORRETOOOOOOOO

(C) A via intradérmica é geralmente utilizada para realizar testes de hipersensibilidade, em processo de dessensibilização e imunização.
CORRETO

(D) A técnica asséptica, desde o preparo até a administração, deve ser usada sempre, independentemente da via parenteral escolhida.
CORRETO
(E) O volume de líquido administrado no músculo varia de 1mL a 5mL.
CORRETO MAS ABRE PONTO PARA ANULAÇÃO POIS PODEMOS APLICAR VOLUMES MENORES QUE 1 ML


30. Os cuidados de enfermagem que devem ser tomados na Reanimação Cardiopulmonar, em um adulto, com apenas um socorrista, são:
(A) abertura de vias aéreas, iniciar duas ventilações para cinco compressões torácicas.
(B) abertura de vias aéreas, iniciar quinze compressões torácicas para cada ventilação.
(C) abertura de vias aéreas, iniciar duas ventilações para quinze compressões torácicas.
(D) abertura de vias aéreas, iniciar duas ventilações para trinta compressões torácicas.
CORRETO ABCDE DA REANIMAÇÃO
(E) abertura de vias aéreas, iniciar uma ventilação para quinze compressões torácicas

prova de SUS da Copese TEc. de Enfermagem


A prova abaixo é a de SUS não há nela questões a serem nulas ou questionáveis no gabarito, NÓS PREPARATÓRIO QUE MINISTREI SUS TODAS ESSAS QUESTÕES FORAM DEBATIDAS EM SALA DE AULA INTEGRALMENTE, É FALEI DE TODAS CONTINUO COM SORTE EM RELAÇÃO A ISSO, NORMALMENTE AS PROVAS PARECEM MUITO COM MINHAS AULAS.....

BEIJOS A TODOS

O QUE ACHARAM DESTA PROVA?



LEGISLAÇÃO DO SUS
11. O Sistema Único de Saúde (SUS) constitui um modelo de saúde que foi inscrito na Constituição Federal, Título VIII – da Ordem Social, regulamentado pela Lei 8.080/1990. O SUS representa a união de todas as ações e serviços públicos de saúde com vistas a garantir:
(A) o controle social do Estado.
(B) a todos os brasileiros o acesso à promoção da saúde, à prevenção de agravos e assistência integral da saúde.
(C) Apenas o acesso à assistência em nível hospitalar.
(D) o conjunto de ações de caráter coletivo voltado apenas para a promoção da saúde.
(E) a seguridade social, financiada pela sociedade, para uma aposentadoria.

12. O Sistema Único de Saúde (SUS) conta, em cada esfera de governo, sem prejuízo das funções do poder Legislativo, com as seguintes instâncias colegiadas:
(A) Conferência de Saúde e o Conselho de Saúde.
(B) Comissão Integrativa de Saúde e o Colegiado de Gestão.
(C) Conselho de Saúde e Ministério Público.
(D) Conferências de Saúde e Conselhos Deliberativos de Assistência Social.
(E) Conselho de Assistência Social e Conselhos de Saúde.

13. Modelo de atenção à saúde eficaz, eficiente e adequado ao assegurar à população brasileira equidade no acesso a seus serviços assim é a Estratégia Saúde da Família que objetiva:
(A) reorganizar a atenção à saúde no campo da medicina especializada.
(B) fortalecer o Sistema Nacional de Informação sobre Conselhos de Saúde.
(C) melhorar a qualidade dos serviços de radiologia, fortalecendo o diagnóstico das doenças.
(D) melhorar a qualidade dos serviços dos Conselhos de Saúde.
(E) melhorar a qualidade dos serviços, ao fortalecer o vínculo entre as equipes e a população.

14. O Brasil vive grandes mudanças nas formas de adoecimento e morte, com queda acentuada da mortalidadepor doenças transmissíveis, graças às medidas de prevenção de agravos e promoção da saúde desenvolvido pelos programas de Agentes Comunitários de Saúde e da Estratégia Saúde da Família, entretanto, ainda háumento das doenças crônicas, tais como:
(A) câncer de colo de útero e câncer de pulmão.
(B) hipertensão arterial e tuberculose.
(C) hanseníase e tuberculose.
(D) hipertensão arterial e diabetes.
(E) diabetes e hanseníase.


15. Desde 1995, o SUS dispõe de dados de cobertura vacinal de todos os municípios do país e vem mantendo coberturas adequadas, o que torna exemplar o:
(A) Projeto de Humanização de Imunização.
(B) Programa de Imunização da Saúde.
(C) Programa Nacional de Imunização.
(D) Projeto de Cobertura Vacinal.
(E) Programa Nacional de Controle de Imunização.

16. Processos de formação por meio de convênios firmados e, em muitos deles, desenvolveram-se processos de mobilização social em defesa do SUS. Esses processos de formação estão sendo desenvolvidos através de:
(A) Educação Permanente em Saúde.
(B) Educação Continuada em Saúde.
(C) Educação para Promoção da Saúde.
(D) Promoção da Universalização da Educação em Saúde.
(E) Educação Continuada para o Controle Social.

17. Política do SUS que compreende um conjunto de ações, individuais e coletivas, englobando promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento e reabilitação e constitui o primeiro nível de atenção:
(A) Atenção Primeira de Saúde.
(B) Atenção Básica de Saúde.
(C) Educação para a Saúde.
(D) Atenção à Saúde da Comunidade.
(E) Saúde da Comunidade.

18. Doença causada por micróbio, transmitido por vias respiratórias, que ataca principalmente nervos periféricos, pele e mucosa nasal, podendo afetar articulações e olhos quando em fase avançada, assim é a hanseníase cujo sinal característico da doença é:
(A) Tosse, febre e dores musculares.
(B) Dores musculares e manchas escuras na pele.
(C) Perda da sensibilidade ao calor à dor e ao tato nas áreas afetadas.
(D) Dor ao tato nas áreas afetadas, febre e tosse.
(E) Manchas na pele, coceira e dor nas áreas afetadas.

19. A saúde é o completo estado de bem-estar físico, mental e social e não simplesmente a ausência de doenças e de enfermidades. Esse conceito foi instituído pela (o):
(A) Movimento Sanitarista Brasileiro.
(B) Constituição Federal de 5/10/1988.
(C) Conselho Federal de Saúde.
(D) Organização Panamericana de Saúde.
(E) Organização Mundial de Saúde.

20. As equipes de Estratégia Saúde da Família e os Agentes Comunitários de Saúde desenvolvem as ações voltadas para identificar os grupos com mais probabilidades de apresentar tuberculose, devendo-se realizar a
busca ativa de casos entre:
(A) suspeitos de tosse produtiva.
(B) apenas os contatos de casos e população em comunidades fechadas.
(C) suspeitos de tosse seca.
(D) sintomáticos respiratórios, contato de casos de tuberculose e população de maior risco de adoecimento em comunidades fechadas.
(E) apenas os sintomáticos respiratórios.

sábado, 10 de abril de 2010

Resultado da Enquete


oi, pessoal as votações da primeira enquete encerraram e o resultado foi que a maioria decidiu por aulas de enfermagem e provas de concurso.....

assim vou fazer, já estou preparando um material otimo para as próximas postagem...

fiquem de olho e votem na próxima enquete..

beijos

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Gripe A H1N1

o ministerio da saude esta com uma vasta campanha audio visual sobre a preveçõa da "Gripe suina", Gripe A, gripe H1N1, é ta todo mundo comedo desta gripe, creio que tudo de ruim nos traz algo de bom tambem, essa gripe, fez com que nos pecebecemos que as vezes precisamos melhorar nossos habitos de higiene. e Principalmente nos PROFISSIONAIS DA SAÚDE. conforme o site do MS http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=137&pagina=dspDetalheCampanha&co_seq_campanha=3724 Gripe. Quanto mais prevenção, mais proteção – essa é a mensagem da campanha informativa sobre a influenza A (H1N1) que será lançada pelo Ministério da Saúde. O objetivo é orientar e incentivar a população a cultivar hábitos de higiene, principalmente para se prevenir da gripe pandêmica. É fundamental que as pessoas mantenham as medidas de higiene pessoal para evitar a infecção pelo vírus. A campanha será dividida em três etapas. A primeira tem foco na prevenção e será veiculada de 22 de fevereiro a 21 de maio. A segunda fase, entre 5 e 14 de março, terá mensagens de preparação e esclarecimento da população, principalmente com relação aos grupos prioritários para receber o imunizante. E a terceira fase, convocando as pessoas desses grupos para se vacinarem, será veiculada de 15 de março a 21 de maio.
video

mais uma prova para tecnico de enfermagem 2010


essa prova foi de tecnico para Estratégia de saúde da Família,


clicaqui

aproveitem

beijos cadê o comentario?

prova de concurso para tecnico em enfermagem 2010


olá pessoal como prometi ontem estou postando um link, com provas de enfermagem de 2010 essa foi concurso aplicado em santa Catarina.


clicaqui
aproveitem

e não esqueçam de deixar seu recado e comentar o post.

beijos

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Em Breve


provas de tecnico de enfermagem e enfermagem 2010

esperem, ja estou baixando e selecionando

beijos

terça-feira, 6 de abril de 2010

Infarto Agudo do Miocardio


O IAM é uma das principais caudas de morte no Brasil, algumas informações sobre essa patologia são complexas e outras cheias de controvérsias. Essa aula que estou postado traz informações sobre essa patologia de forma clara e resumida. Ideal para um estudo inicial, ou para um estudo para concurso.

para baixar clique no link abaixo:

clicar_Aqui

há não deixe de comentar, ta?

domingo, 4 de abril de 2010

provas copese Enfermeiro superior




essas provas podem ajudar no estudo para os concurso, estou postando também a pedidos

prova de enfermeiro ambulatorio
clicar_aqui


prova de enfermeiro plantonista
clicar_Aqui

gabarito enfermeiro plantonista e ambulatorio
clicaqui

prova de enfermeiro ESF
clicaqui

e ai gostou dê sua opinião que é muito importante para mim, escreva abaixo o seu comentário....

sexta-feira, 2 de abril de 2010

obrigada pelo acesso


esse blog é pra você leitor que aqui está e que deseja mais conhecimento na área de saúde e em especial na area de enfermagem. Aqui pretendo postar, provas, aulas , apostilas, artigos, comentários, todo o material que puder, para que este blog seja melhor solicito a ajuda de todos, postem comentários vote nas enquetes e sempre acesse procurando algo novo....


obrigada

LORENA DAYSE
e agora cadê o comentario?

aprofundando o conhecimento em saúde pública


Essa postagem é para aqueles que desejam um conhecimento mais aprofundado em saude publica, estou postando links abaixo, são aulas ministrdas em preparatorios para concurso é so clicar e aproveitar muitooooooo

aula 1- EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE
clicar_Aqui


Aula 2- PRORGRAMAS DE ATENÇÃO BÁSICA
clicar_aqui

aula 3- programa de agentes comunitarios de saúde
clicar_aqui

Aula 4- Educação permanente em Saúde
clicar_aqui

Aula 5- Programa de Diabetes e Hipertensão. Tuberculose e Hanseniase
clicar_aqui

Aula 6- lei 8.142
clicar_aqui

Aula 7- NASF + questões de concurso
clicar_aqui

Aula 8- Programas de atenção básica
clicar_aqui

Aula 9 - Muitas questões para praticar muito
clicar_aqui

espero ter ajudado, agora deixe seu comentario abaixo.....

questões de urgencia e emergencia



Aula de urgência, um pequeno resumo inicial e muitas questões de concursos para você aproveitarem

clicaqui

obrigada pelo acesso !!!!!

agora faça seu comentario abaixo

Pressão Arterial


com as mudanças em nossa sociedade a hipertensão arterial passou a ser a doença de maior prevalencia na nossa vida moderna... que nao têm alguem hipertenso em casa .. para entedermos um pouco mais sobre essa patologia estou postando esse link

aula---- como medir a pressão arterial

clicar_aqui

aula- pressão arterial
clicar_aqui

gostaram????? poste um cometario abaixo...

Central de material esterilizado




o preparo dos materiais hospitalares é uma peça fundamental para a manutenção da integridade física do paciente, já que a maioria dos materiais estão directamente ligados a assistência ao mesmo, e podem portanto provocar infecção.

para baixar aula de CME clica no link abaixo :

clicar_Aqui

postem comentários

Carta Brasileira dos Direitos do Paciente




Os participantes do II Congresso de Humanização do Hospital e da Saúde, realizado em São Paulo, de 13 a 15 de agosto de 1982, e promovido pelo Centro São Camilo de Desenvolvimento em Administração da Saúde.

- coerente com os objetivos mais elevados de suas profissões e solidários com a pessoa enferma, objetivo e sujeito de seu atendimento;

- testemunhando seu respeito pelos direitos humanos e pela liberdade e dignidade da pessoa que servem;

- considerando as necessidades bio-psiquico-sociais do enfermo;

- considerando o direito á saúde assegurado pela constituição brasileira a todo o cidadão;

- crendo na possibilidade da prática de uma medicina verdadeira voltada para o homem integral;

- considerando a necessidade de evitar agressões de qualquer ordem ao enfermo e de integrá-lo como elemento ativo no processo terapêutico;

- considerando que o desenvolvimento tecnológico verificado na área da saúde pode gerar uma despersonalização dos cuidados prestados aos pacientes;

- proclama esta CARTA BRASILEIRA DOS DIREITOS DO PACIENTE que servirá como ponto de referencia para o exercício profissional da equipe de saúde e para a operação das instituições desta área.

Toda pessoa que necessita de cuidados de saúde tem direito:

1- á saúde e á correspondente educação sanitária para poder participar ativamente da preservação da mesma.

2- De saber como, quando e onde receber cuidados de emergência

3- Ao atendimento sem qualquer restrição de ordem social, econômica, cultural, religiosa e social ou outra.

4- Á vida e á integridade, física, psíquica e cultural.

5- Á proteção contra o hipertencinismo que viola seus direitos e sua dignidade como pessoa.

6- Á liberdade religiosa e á assistência espiritual.

7- De ser respeitado e valorizado como pessoa humana.

8- De apelar do atendimento que fira sua dignidade ou seus direitos como pessoa.

9- De ser considerado como sujeito do processo de atendimento a que será submetido.

10- De conhecer seus direitos a partir do inicio do tratamento.

11- De saber se será submetido a experiência, pesquisas ou praticas que afetem o seu tratamento ou sua dignidade e de recusar submeter-se as mesmas.

12- De ser informado a respeito do processo terapêutico a que será submetido, bem como de seus riscos e probabilidade de sucesso.

13- De solicitar a mudança de médico, quando o julgar oportuno, ou de discutir seu caso com um especialista.

14- Á assistência médica durante o tempo necessário e até o limite das possibilidades técnicas e humanas do hospital.

15- De solicitar e de receber informações relativas aos diagnósticos, ao tratamento e aos resultados de exames e outras práticas efetuadas durante sua internação.

16- De conhecer as pessoas responsáveis pelo tratamento e de manter relacionamento com as mesmas.

17- A ter seu prontuário devidamente preenchido, atualizado, e mantido sem sigilo.

18- A rejeitar, até os limites legais, o tratamento que lhe é oferecido e a receber informações relativas ás conseqüências de sua decisão.

19- Ao sigilo profissional relativo á sua enfermidade por parte de toda a equipe de cuidados.

20- A ser informado do estado ou da gravidade de sua enfermidade.

21- De ser atendido em instituição com serviço adequados.

22- De conhecer as normas do hospital relativas á sua internação.

23- De receber explicações relativas aos componentes da fatura independente da fonte de pagamento.

24- De receber familiares ou outras pessoas estranhas á equipe de cuidados.

25- De deixar o hospital independente de sua condição ou situação financeira mesmo contrariando o julgamento do seu médico e do hospital, embora, no caso deva assinar seu pedido de alta.

26- De recusar sua transferência para outro hospital ou médico até obter todas as informações necessárias para uma aceitação consciente da mesma

etica em enfermagem



O termo Ética refere-se aos padrões de conduta moral, isto é, padrões de comportamento relativos ao paciente, ao patrão e aos colegas de trabalho. Ter boa capacidade de discernimento significa saber o que é certo e o que é errado, e como agir para chegar ao equilíbrio.

Os pontos de ética enumerados foram compilados por diferentes autores. A lista pode não ser completa, mas contém os pontos mais importantes e mais tarde, quando você se familiarizar com o programa de enfermagem poderá acrescentar algo na lista.

Respeite todas as confidencias que seus pacientes lhe fizerem durante o serviço.

Jamais comente em público durante as horas de folga, qualquer incidente ocorrido no hospital nem de informações sobre seu doente. Qualquer pergunta que lhe for feita sobre os cuidados que ele recebe, bem como de suas condições atuais e prognosticas, por seus familiares, deverá ser relatada ao supervisor.

Evite maledicências- jamais critique seu supervisor ou seus colegas de trabalho na presença de outros funcionários ou dos enfermos.

Respeite sempre a intimidade de seus paciente. Bata de leve á porta antes de entrar no quarto. Cubra-o antes de executar qualquer posição. Cuide para que haja sempre lençóis disponíveis para exames e posições terapêuticas.

A ficha do paciente contém informação privada e deve ser guardada. Apenas as pessoas diretamente envolvidas no seu atendimento podem ter acesso a ela.

Demonstre respeito por seus colegas de trabalho em qualquer ocasião. Seja leal a seus chefes. Trate-os assim como a seus pacientes, pelo sobrenome, em sinal de respeito. Nunca recorra a apelidos, doenças ou número de quarto para se referir aos doentes.

Aceite suas responsabilidades de bom grado. Antecipe-se ao chamado do paciente; procurando adivinhar-lhe as necessidades. É importante que você não exceda suas responsabilidades nem sua habilidade. Conheça bem seu trabalho.

Tenha cuidado com os objetos ao paciente, para prevenir posteriores complicações, tanto para você quanto para o hospital. Guarde os objetos pessoais do doente, isto é, dinheiro, jóias, como se fossem seus.Cuide para que os objetos de valor sejam guardados no cofre do hospital.

Assuma a responsabilidade de seus erros e falhas de julgamento, levando-se logo ao conhecimento do supervisor, do contrario, você poderá colocar em risco sua própria pessoa, o paciente e o hospital.

O bom atendimento ao enfermo não permitir que haja preconceitos de raça, religião ou cor. Dispense a todos a mesma consideração e o mesmo respeito, e dê-lhes o melhor de si.

Recorra á igreja da qual faz parte do paciente sempre que necessário. Nunca se coloque na posição de conselheiro espiritual, mas esteja ciente de sua obrigação, em providenciar este tipo de apoio sempre que necessário. Comunique ao supervisor quando o paciente exigir um apoio religioso especial.

Não comente sua vida nem seus problemas pessoais ou familiares com seus doentes a não ser em termos gerais.

Falar alto e fazer muito barulho é um comportamento impróprio que incomoda ao paciente e a seus familiares. Ande não corra, mesmo em situações de emergência.

Ter boas maneiras é uma obrigação. Os visitantes são convidados dentro do hospital. Se você os tratar com respeito e cortesia, eles confiarão mais em você e no hospital.

Gratificações, como dinheiro, presentes e gorjetas por parte dos pacientes, devem ser recusadas.

Não faça refeições no quarto do enfermo nem no local onde é preparada sua comida. Não é permitido comer restos deixados pelo doente e nem servir-se da comida que lhe é destinada.

Use com moderação o material fornecido pelo hospital. Tenha cuidado com os equipamentos. Levar para casa objetos de propriedades do hospital, como termômetros, canetas e loção para as mãos é roubo.

Durante a carreira de enfermagem você encontrará certos tipos especiais de pacientes, como viciados em drogas, alcoólicos, criminosos, suicidas e pervertidos sexuais. Não deixe que sua simpatia e antipaia pessoal interfiram no atendimento a essa espécie de doente. Não permita, tampouco, que a condição social ou econômica do paciente modifique a qualidade do atendimento que você dispensa.

Tirar medicamentos da reserva do hospital ou do paciente é roubo. Não se aproveite da presença do médico para lhe pedir que prescreva medicação para você ou seus familiares.

Nunca faça diagnóstico nem medicação para os pacientes, para seus familiares e amigos, porque isso constitui exercício ilegal da Medicina.

Não deixe que se estabeleçam laços pessoais entre você e seu paciente.

Delicadamente desencoraje-o quando ele fizer tentativas neste sentido.

Você poderá ser despedido(a) se for encontrado(a) sobre efeito de álcool ou de outras drogas, o fato deverá ser levado imediatamente ao conhecimento do seu supervisor.

Permaneça no seu setor de trabalho, só saindo quando lhe for permitido, como nos intervalos para almoço e descanso.

Responda logo a qualquer chamado do paciente. Atenda a suas solicitações, sempre que possível. Quando estiver em dúvida ou não for capaz de faze-lo, chame o supervisor.

Normalmente é a enfermeira chefe quem atende ás chamadas telefônicas. Caso você tenha de faze-lo seja educado(a) e cortês. Encaminhe qualquer chamada telefônica á autoridade competente. As ordens médicas dadas por telefone só devem ser recebidas pela enfermeira chefe. O telefone da enfermeira só deve ser usado para chamadas internas do hospital e nunca para chamadas pessoais.

Os tópicos acima citados deverão fazer parte do dia-a-dia e num processo de Reflexão.


Ser etico é o pilar que controi um bom profissional

aula de etica clique no link abaixo


clicar_Aqui

Aula de assistência clinica


Aula de assistência clinica em enfermagem

para acessar clique no link abaixo

clicar_aqui

valeu

Drenagem toracia, ostomias e traqueostomias


aula de drenagem toracica, ostomias e traqueostomias, um pequeno resumo deste conteudo tão vasto
acesse olink abaixo:

clicar_aqui

aproveitem !!!!

provas de concursos para tecnico de enfermagem


VAMOS PRATICAR

ESSE LINK é 10, SÃO 10 PROVAS DE TECNICO DE EM ENFERMAGEM PARA PRATICAR ...

um dos passos para conquistar uma vaga em um concurso publico é sem duvidas resolver questoes muitas e muitas questões.....

então estou colocando abaixo vários links de provas de concurso para técnicos de enfermagem.... para baixar é só clicar nos links abaixo.

prova 1
clicar_aqui

prova 2
clicar_aqui

prova 3
clicar_aqui

prova 4
clicar_aqui

prova 5
clicar_aqui

prova 6
clicar_aqui

prova 7
clicar_aqui

prova 8
clicar_aqui

prova 9
clicar_aqui

prova 10
clicar_aqui


qualquer duvida me procurem.....

Sistema unico de saude


aqui estão link sobre SUS.
ATENÇÃO: sus não é um conteúdo que se estuda apenas quando sai o edital é importante saber bem o conteúdo de sus , estuda essas leis é preciso pois fazem parte da maioria dos concurso....

bom estudo

1º link apostila com resumo geral de SUS
clicar_aqui

2ª link aula de sus , lei 8080/90
clicar_aqui

3º link -aula de sus -- introdução ao SUS, resumo geral
clicar_aqui

aproveitem

e


bom estudo

saude mental e administração


resumo sobre saúde mental e administração em enfermagem, esse é o resumo do resumo, tá? para maiores informações façam comentarios disponibilizando seu email que eu envio um material maior e mais completo

para baixar é so clicar no link abaixo

clicar_aqui

super revisão rapida


oi essa é uma revisão que estou disponibilizando, tentem resolver as questões marquem o tempo como se fosse uma prova.... bom estudo

para baixar é so clicar no link abaixo

clicaraqui

ou copiar e colar o link em seu navegador

http://www.4shared.com/file/209141426/35b7b02e/REVISO_CONCURSO_SESAPI.html

vamos lá praticar

Questões Assistência Clinica


oi, aqui tem algumas questões de assistências clínica cobradas em concursos públicos e selecções para hospitais particulares, espero ter ajudado se precisar e so me procurar ........ deixem comentários

para o download é so copiar e colar o link abaixo em seu navegador

http://www.4shared.com/file/209139363/536a63df/questes_clinica_medica.html

apostila de assistencia clinica



apostila de resumo de assitencia clinica em enfermagem, , esse apostila tem um resumo rápido das principais patologias cobradas nos concurso....




para acessar copie e cole o link abaixo em seu navegador.

http://www.4shared.com/file/209139187/c9005e26/ASSISTNCIA_CLINICA.html

obrigada


Prova do Concurso de Piripiri 2009 Cargo: Enfermeiro

11. A Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde, reunida em Alma Ata em 1978, expressou a necessidade de ação de todos os governos e de todos que trabalham nos campos da saúde e do desenvolvimento, a fim de promover a saúde de todos os povos do mundo. Os Cuidados Primários de Saúde baseiam-se em:
(A) Liberação de recursos financeiros e acompanhamento da execução das ações preventivas de saúde.
(B) Prestação de contas, como pré-requisito para concessão de auxílio aos países pobres.
(C) Instruções das entidades internacionais e publicações científicas.
(D) Métodos e tecnologias práticas, cientificamente bem fundamentados e socialmente aceitáveis, colocando-os ao alcance universal da sociedade, mediante sua plena participação.
(E) Ações referentes a projetos e obras financiadas com recursos da união e dos países no campo da medicina curativa.

12. O Sistema Único de Saúde (SUS), fruto do movimento social que desaguou no movimento Sanitário Brasileiro, decisivo na construção do arcabouço jurídico-legal, tem a saúde como direito de cidadania e dever do Estado, o qual é garantido por meio
(A) da Constituição Federal de 1988 e das diversas regulamentações pós-constituição.
(B) da Assembleia Nacional Constituinte e da Sociedade Civil Organizada.
(C) da Sociedade, da democracia participativa, bem como da gestão em saúde.
(D) da Emenda Constitucional nº 29, que garante os recursos mínimos à saúde.
(E) da Lei Orgânica da Saúde, da Previdência Social e das Normas Operacionais Básicas.

13. A saúde está presente em todos os momentos da vida, nos quais somos capazes de pensar, sentir e assumir nossos atos e decisões. É um estado de bem-estar físico, social e mental e não simplesmente a ausência de enfermidades, como diz a Organização Mundial de Saúde. Este conceito de saúde requer, no entanto
(A) ações exclusivamente individuais no campo da saúde e cultura.
(B) reflexões sobre o processo da saúde e da doença nos aspectos curativos.
(C) proposições de políticas públicas eficientes, baseadas em pesquisas fincadas na realidade, para combater as desigualdades sociais e econômicas.
(D) ações exclusivamente coletivas que requeiram tempo para sua efetividade.
(E) qualificações de profissionais em nível médio e superior, para atuarem criticamente na área da saúde.

14. As decisões da política de alocação de recursos e critérios de gastos na saúde devem ser transparentes e passíveis de controle pela população, além disso, devem possibilitar a revisão do acesso igualitário aos serviços de qualidade em todos os níveis do sistema. A essas ações dá-se o nome de Controle Social. A participação da sociedade é garantida por meio de:
(A) Planejamento estratégico e Comissões Intergestoras Bipartites.
(B) Conselhos de Desenvolvimento Social e Conferências de Saúde, respaldados pela Lei 8.142/90.
(C) Ministério Público Federal e Conselho de Saúde, respaldados pelas Leis 8.142/90 e 8.080/90, respectivamente.
(D) Ministério Público e Assembléia Legislativa.
(E) Conselhos e Conferências de Saúde, respaldados pela Lei 8.142/90.

15. Processo técnico e político de decisões compartilhadas e consensuadas sobre as ações necessárias ao desenvolvimento territorial que assegura o envolvimento efetivo das representações territoriais na apreensão da realidade e na definição de prioridades. O texto acima descrito é referente:
(A) ao Conceito de Território.
(B) ao Planejamento Participativo.
(C) à Atenção Básica de Saúde.
(D) à Programação Pactuada Integrada.
(E) à Promoção da Saúde.

16. Os Territórios de Desenvolvimento Sustentável do Piauí constituem unidades de planejamento da ação governamental, para a promoção e desenvolvimento do Estado, para a melhoria da qualidade de vida da população através da democratização das ações governamentais e da regionalização do orçamento. Como se apresenta a divisão dos Territórios de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Piauí?
(A) 11 territórios e 28 aglomerados.
(B) 11 territórios e 26 aglomerados.
(C) 10 territórios e 28 aglomerados.
(D) 10 territórios e 26 aglomerados.
(E) 28 territórios e 10 aglomerados.

17. Um dos objetivos da Política Nacional de Educação Permanente para o Controle Social no Sistema Único de Saúde (SUS) é fortalecer os Conselheiros de Saúde como sujeitos sociais que participam da formulação e deliberação da política de saúde como representantes da sociedade civil organizada. Essa política tem como eixos estruturantes:
(A) Planejamento normativo; participação social; controle social; financiamento da participação e comunicação.
(B) Participação social; intersetorialidade; informação e comunicação em saúde; legislação do Sistema Único de Saúde (SUS); financiamento da participação e do controle social.
(C) Financiamento da participação e do controle social; informação e comunicação social; legislação do Sistema Único de Saúde (SUS); participação social e pacto de gestão.
(D) Intersetorialidade; comunicação; informação e informática; participação social; financiamento setorial e o planejamento setorial.
(E) Informação e comunicação em saúde; intersetorialidade; planejamento estratégico situacional; educação e intersetorialidade.

18. Atenção Básica se caracteriza por um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, por meio da promoção de saúde, da prevenção de agravos e da recuperação da saúde. O financiamento da Atenção Básica é operacionalizado pelo
(A) Piso de Atenção Básica (PAB) fixo e indeterminado.
(B) Programa de financiamento suplementar do PAB fixo.
(C) Piso de Atenção Básica (PAB) suplementar e variável.
(D) Piso de Atenção Básica (PAB) fixo e o Piso de Atenção Básica (PAB) variável.
(E) Programa de financiamento supletivo do PAB variável e PAB fixo.

19. Mudanças significativas para a execução do Sistema Único de Saúde (SUS), como a substituição do processo de habilitação pela adesão solitária aos termos de compromisso de gestão, pela regionalização solidária e pelo processo de descentralização, apresentam impacto sobre a situação de saúde da população, assegurado no Pacto pela Saúde por meio do:
(A) Pacto pela vida.
(B) Pacto pela defesa do SUS.
(C) Pacto pela solidariedade do SUS.
(D) Pacto pela saúde do trabalhador.
(E) Pacto de gestão.

20. A extensão de cobertura, cada vez maior, alcançada pela estratégia Saúde da Família (eSF), transforma-a em um recurso fundamental para o desenvolvimento da atenção básica em todo país, sendo seu impacto, nos indicadores de saúde, visivelmente marcante. A eSF visa a:
(A) Servir de guia de orientação para as práticas curativas e reabilitadoras.
(B) Reorientar as práticas de saúde pelo estímulo a ações de promoção da saúde e prevenção de agravos, reconhecendo os territórios sociais onde se produzem as doenças.
(C) Contribuir para o controle ou erradicação das doenças infecto-contagiosas e imunopreviníveis.
(D) Qualificar o pronto-atendimento às necessidades de saúde da população em sua área de abrangência, através do processo de trabalho das equipes.
(E) Garantir a sustentabilidade ambiental com ênfase nos determinantes sociais da saúde.

Gabarito
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
D A C E B A B D E B

prova de sus prefeitura de Piripriri


Prefeitura de Piripiri 2009 para Auxiliar de Enfermagem

11. A importância da estratégia Saúde da Família (eSF) representa um momento relevante na consolidação das políticas públicas de saúde e um significativo passo rumo à revolução silenciosa, eficaz e transformadora empreendida pelo:
(A) Congresso Nacional.
(B) Planejamento da Saúde.
(C) Sistema Único de Saúde – SUS.
(D) Controle Social e Saúde.
(E) Atendimento de Urgência e Emergência.

12. O Brasil vive, atualmente, grandes mudanças nas formas de adoecimento e morte, com queda
acentuada da mortalidade por doenças transmissíveis. São exemplos de doenças não
transmissíveis:
(A) Dengue, malária, febre amarela.
(B) Diabetes mellitus, hipertensão arterial e doenças cardiovasculares.
(C) Hipertensão, malária e verminoses.
(D) Diabetes mellitus, dengue e dermatites.
(E) Hanseníase, tuberculose e doenças cardiovasculares.

13. Desde 1999, o percentual de municípios que alcançaram a meta da Campanha de Vacinação tem crescido, ano após ano. Após nove anos de mobilizações nacionais em campanhas de vacinação para idosos, cerca de 90 milhões de doses da vacina foram aplicadas a esse grupo de pessoas. Essa vacina chama-se:
(A) Vacina contra resfriado e tosse.
(B) Vacina contra inflamação das vias respiratórias.
(C) Vacina contra dermatite
(D) Vacina contra influenza.
(E) Vacina contra tuberculose.

14. As ações de Atenção Básica, como as demais ações do Sistema Único de Saúde (SUS), devem ser financiadas com recursos da União, Estado, Distrito Federal e Municípios. Compete à gestão municipal administrar o Fundo Municipal de Saúde, cabendo ao Conselho Municipal de Saúde:
(A) Verificar existência e o pleno funcionamento desse fundo.
(B) Organizar o Fundo Municipal de Saúde.
(C) Administrar os recursos do Fundo Municipal de Saúde.
(D) Fazer a prestação de contas do recurso utilizado.
(E) Regulamentar o uso dos recursos financeiros do município.

15. A saúde é conceituada como o completo estado de bem-estar físico, mental e social e não apenas como a ausência de doenças. Tal conceito foi instituído pelo(a):
(A) Organização Panamericana de Saúde.
(B) Ministério da Saúde.
(C) Organização Mundial de Saúde.
(D) Política Nacional de Atenção à Saúde.
(E) Organização das Nações Unidas.

16. Para a viabilização de ações de Atenção Primária de Saúde, é necessário recurso financeiro especificamente ao bloco Atenção Básica. Esse recurso financeiro chama-se:
(A) Teto de Atenção Básica – TAB.
(B) Recurso Auxiliar para Atenção Primária.
(C) Recursos de Atenção Básica – RAB.
(D) Programa de Atenção Básica – PAB.
(E) Piso de Atenção Básica – PAB.

17. O processo de capacitação das equipes da estratégia Saúde da Família (eSF), baseado na Política de Educação Permanente em Saúde, deve iniciar-se concomitantemente ao início do trabalho dessas equipes por meio do(s):
(A) Curso Introdutório para toda a equipe.
(B) Treinamento em ser viço para toda a equipe.
(C) Conteúdos mínimos para dar início às atividades das equipes.
(D) Curso Introdutório para médicos e enfermeiros apenas.
(E) Curso Introdutório para médicos.

18. O direito à participação nas políticas e práticas de saúde é um dos princípios fundamentais do Sistema Único de Saúde (SUS), conquistado na Constituição Federal de 1988 e regulamentado pela Lei Federal 8.142/1990. Tal direito, chamado de Controle Social, é efetivado por intermédio de:
(A) Espaços Paritários e de Poder.
(B) Gestão Estratégica e Participativa.
(C) Conselhos e Conferências de Saúde.
(D) Sociedade Civil Organizada e Participativa
(E) Conselhos de Saúde e Comitês de Gestão Participativa.

19. A tuberculose é uma doença infecciosa e contagiosa, causada por um microorganismo, denominado de bacilo de Koch (BK), que se propaga através do ar, por meio de gotículas contendo os bacilos expelidos por um doente com tuberculose (TB) pulmonar. Dentre as várias estratégias para atender o Plano Nacional de Controle da Tuberculose a todos os municípios brasileiros, estão:
(A) Expansão da Unidade de Saúde.
(B) Expansão e consolidação dos Programas de Agentes Comunitários.
(C) Consolidação da Política de Combate ao Bacilo de Koch (BK).
(D) Expansão e Consolidação dos Programas de Agentes Comunitários de Saúde e da Estratégia Saúde da Família.
(E) Expansão e Consolidação apenas da Estratégia Saúde da Família.

20. A Hanseníase permanece como questão relevante do ponto de vista da Saúde Pública. Apesar dos avanços do Sistema Único de Saúde (SUS), a doença continua a produzir mais de 40 mil casos novos/ano no Brasil e mantém importante endemicidade. A Hanseníase manifesta-se por meio de:
(A) incapacidade física e neurológica, dor.
(B) febre, dor na garganta e tosse.
(C) nódulos, dores nas articulações e febre.
(D) manchas brancas na pele com grande sensibilidade a dor.
(E) lesões de pele que se apresentam com diminuição ou ausência de sensibilidade.

Gabarito
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
C B D A C E A C D E