Lorena Dayse

Minha foto
Enfermeira intensivista , professora de enfermagem, trabalho ha alguns anos como professora, ministrante de cursos de extensão e como professora de preparatorios para concursos publicos.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 11 de junho de 2011

DOR E SINAIS VITAIS



1 - DOR

CONCEITO: É um sintoma com componentes sensoriais, cognitivos e afetivo-motivacionais.

Tipos

Transitória: breve duração, sem maiores conseqüências.
Aguda: lesão tecidual + dor + ansiedade.
Crônica: persistência após recuperação da lesão, nem sempre relacionadas. Refratária ao tratamento. Relacionada com alterações emocionais.
Cutânea: intensidade variável, local e "qualidade" exatos do estímulo.
Profunda: músculos, tendões, articulações e fáscias.
Visceral: pode ser desencadeada por estímulos tais como distensão, tração, inflamação, isquemia, e contração espasmódica. Qualidade variável: coração = "aperto", pleura = "fincada", vísceras ocas = "torção", etc. É percebida nas regiões correspondentes à projeção embriológica do órgão.
Referida: é profunda e projeta-se à distância, seguindo a distribuição metamérica. Seria o resultado da convergência neuronal das vias aferentes cutâneas e profundas em um mesmo segmento. Não tem localização muito precisa e é contínua.
Irradiada: é superficial e profunda, conseqüência da irritação direta de um nervo sensitivo ou misto.

Características semiológicas

Localização: aonde a dor está sendo sentida; é útil pedir ao paciente para indicar o local. Deve ser usada a nomenclatura da superfície corporal.
Irradiação.
Caráter ou qualidade: em queimação, em pontada, pulsátil, em cólica, surda, constritiva, contínua, provocada.
Intensidade: característica relativa, podendo ser leve, moderada, intensa ou muito intensa.
Duração: início; se for periódica, também, a de cada crise.
Evolução.
Relação com as funções orgânicas.
Fatores desencadeantes ou agravantes.
Fatores atenuantes.
Manifestações concomitantes.

Principais síndromes de dor

Pós-herpética, pós-trauma medular, da avulsão de plexos (braquial ou lombar), do membro fantasma, do coto de amputação, causalgia, do câncer e outras.


2 - SINAIS VITAIS

Os sinais vitais do paciente são: temperatura, pulso, respiração e pressão arterial. Os sinais vitais devem ser verificados com cautela, avalie se o paciente tem condições para que você possa comentar os resultados.

Temperatura

A temperatura é a medida do calor do corpo: é o equilíbrio entre o calor produzido e o calor perdido.
Tempo para deixar o termômetro no paciente é de: 5 a 10 minutos.

Valores normais da temperatura:

É considerado normal 36o. a 37o.C
Temperatura axilar: 36o.C a 36,8o.C
Temperatura inguinal: 36o.C a 36,8o.C
Temperatura bucal: 36,2o.C a 37o.C
Temperatura retal: 36,4o.C a 37,2o.C
Termos corretos:

Afebril: 36o.C a 37o.C
Estado febril: 37,5o.C a 37,8o.C
Febre: 38o.C a 38,9o.C
Pirexia: 39o.C a 40o.C
Hiperpirexia: acima de 40o.C
Hipotermia: temperatura abaixo de 35o.C
Hipertermia: de 38o. a 40o.C.
Pulso

Pulso é a pressão sangüínea sentida contra a artéria a medida que o coração contrai e relaxa.
O pulso radial é habitualmente o mais verificado.

Termos corretos:

Bradicardia: pulso lento
Taquicardia: pulso rápido.
Média normal do pulso:

Lactentes: 110 a 130bpm(batimentos por minuto)
Abaixo de 7 anos: 80 a 120bpm
Acima de 7 anos: 70 a 90bpm
Puberdade: 80 a 85bpm
Homem: 60 a 70bpm
Mulher: 65 a 80bpm
Acima de 60 anos: 60 a 70bpm.

Respiração

A principal função da respiração é suprir as células do organismo de oxigênio e retirar o excesso de dióxido de carbono.

Alterações na respiração:

Apnéia: período sem respiração
Bradipnéia: respiração lenta
Dispnéia: respiração difícil e trabalhosa
Estertor: ruído na respiração parecido com roncos
Normopnéia: respiração na freqüência normal
Taquipnéia: respiração rápida e superficial
Ortopnéia: só consegue respirar melhor quando está sentado
Cheynes-Stockes: períodos de dispnéia, bradipnéia e apnéia
Biot: períodos de apnéia ( mais ou menos 30 segundos)
Kussmaul: respiração profunda seguida de agonica ou estertorosa.
Valores normais:

Homem: 16 a18 mpm(movimentos por minuto)
Mulher: 18 a 20mpm
Criança: 20 a 25mpm
Lactentes: 30 a 40 mpm

Pressão Arterial

É a medida da força do sangue contra as paredes das artérias. A verificação da pressão arterial Compreende verificar a pressão máxima chamada sistólica e a pressão mínima chamada diastólica.

Valores normais ( para adultos):

Pressão sistólica:entre 90 e 140mmHg
Pressão diastólica:entre 60 e 90mmHg.
Termos corretos:

Normotenso: pressão arterial normal
Hipertenso: acima dos valores normais
Hipotenso: abaixo dos valores normais.

3 comentários:

  1. jane maria dos santos14 de julho de 2011 20:14

    olá lorena gostei muito do tema ,vc tirou algumas dúvidas minhas continue assim ajudando a quem precisa que deus lhe abençõe e lhe dê muitos anos de vida pra vc e seu bebe que vem por ai parabéns. me chamo jane maria

    ResponderExcluir
  2. estudo muito por este blog,poisé realmente completo

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela iniciativa. Grato.

    ResponderExcluir

agradeço o comentario construa esse blog junto a mim